Lenny Niemeyer

by

Uma referência de moda praia no mundo, nascida em Santos, Lenny Niemeyer conquistou o sucesso com estampas, modelagens, cores e acessórios que fugiam aos padrões da época em que começou,  como por exemplo usando argolas de ossos de boi, que buscava em um açougue no Leblon e preparava em casa para utilizar em suas peças. O início de sua carreira como estilista foi em 1979, produzindo biquínis para famosas grifes, como Fiorucci, Bee, Richards e Andrea Saletto.


Em 1991 Lenny resolveu criar a própria marca e abriu a sua primeira loja em Ipanema. Além de biquínis e maiôs, a marca produz bolsas, sapatos, acessórios e uma coleção de roupas e malhas. O foco é mulher sofisticada que consome a marca e o lifestyle Lenny Niemeyer. Assim como em suas estampas diferenciadas e com toques característicos da marca, o gosto pela natureza fica explícito e não aparece à toa: O gosto pela natureza presente em suas estampas é reflexo de sua carreira anterior como paisagista, em São Paulo.

 

Atualmente, são 18 lojas e mais de 300 pontos de vendas em multimarcas pelo Brasil e pelo mundo. A grife Lenny representa há mais de 20 anos a moda praia carioca com sofisticação e estilo no Brasil e no exterior. Lenny Niemeyer exporta para países da América Latina ao Oriente Médio, além de ter representações nos Estados Unidos, Europa e África. Está presente em países como Portugal, França, Inglaterra, Estados Unidos, República Domenicana, Argentina, Venezuela, Canadá, Espanha e Dubai. Seus produtos podem ser encontrados em lojas como Sacks Fifth Avenue, Le Printemps, Barney’s, Heidi Klein, Bergdorf Goodman, Just One, Harvey Nichols, Joffre, Harrods, Selfridges, Vila Plaisance, Cannelle, Boutique Coté Sud, Le Club 55 e Velvet Louge.

lenny

Um pouco de história Por Lenny Niemeyer

“Quando mudei para o Rio de Janeiro, em 1979, minhas amigas paulistas me pediam para trazer do Rio biquínis com espírito carioca, menos caretas que os paulistanos, mas sem serem vulgares. Estiquei a Lycra, aluguei máquinas de costura e, no prédio onde morava, fiz minhas primeiras peças. Mas não era só uma questão de tamanho. O maior problema eram as estampas, pois havia pouca variedade, e todas eram muito literais. Comecei a introduzir tons que não eram comuns nas areias cariocas da época, como bronze, marrom, verde escuro e a produzir estampas exclusivas.Comecei a desenvolver pequenas coleções para as melhores marcas da época, como Krishna, Bee, Richard´s, Andrea Saletto e Fiorucci. Em 95, criei coragem e abri a primeira loja da minha marca. Minhas peças têm influências diretas da arquitetura na modelagem e nos recortes. A modelagem valoriza o que as mulheres têm de melhor, e os drapeados sempre tem uma razão em estarem ali. Tento fazer um trabalho milimétrico de construção e acabamento.Depois deste período buscando excelência na moda praia, passamos a produzir uma linha de roupas, muito importante, pois ajuda a formar o mix de produtos das lojas, complementando as peças de moda praia. Atualmente, as pessoas não vão à praia com uma roupa mais velha e sem estilo. Elas se produzem e muitas vezes esticam a praia em um restaurante, na casa de amigos. Por isso é fundamental ter uma coerência em todas as linhas, que vão da praia às ruas.

Curiosidades Sobre Lenny Niemeyer

Elegantérrima, Lenny Niemeyer é um ícone fashion e sempre arrasa nas suas produções!

Além da repercussão no mundo fashion, a estilista é conhecida por organizar as melhores festas da alta sociedade carioca, em seu prédio de três andares na Lagoa Rodrigo de Freitas.

Apesar de todo o seu envolvimento com o Rio de Janeiro, a estilista não é carioca: nasceu em Santos (SP). Lenny só foi para o Rio de Janeiro em 1979, aos 27 anos, quando se casou com o neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho. A propósito, seu nome de batismo é Maria Helena Ortiz;

Graças a um conhecido, o editor de moda Michael Roberts, um maiô de Lenny foi parar numa sessão de fotos da revista “Vanity Fair”, para ser usado por Nicole Kidman. A atriz se apaixonou pelo modelo. Os assistentes de Nicole ligaram para o Rio e encomendaram outras peças;

O arquiteto Sig Bergamin foi colega de classe de Lenny em São Paulo, quando a estilista fez especialização em desenho industrial, após cursar a faculdade de artes plásticas na FAAP no final dos anos 60;

Em 1984, Lenny passou por maus bocados: três anos após montar uma pequena fábrica na garagem de casa, uma inundação destruiu toda a sua produção. A estilista montou uma nova fábrica em um galpão em Jacaré, subúrbio do Rio de Janeiro, que foi assaltada um ano depois. Lenny alugou máquinas para continuar a produzir e incorporou o galpão anexo para ampliar a empresa;

Apesar de toda sua experiência, a estilista até hoje não desenha absolutamente nada: faz tudo direto no manequim e vai ajeitando no corpo.